2021 novo ano, novas metas

P Mais - Ano novo

Um novo ano surge e com ele diversas expectativas e apostas, com o ano de 2020 sendo o que foi, diversos problemas sociais, e questões muito importantes a serem tratadas com a sociedade, pandemia da Covid-19 e a chegada da vacina no próximo ano, dentro outros acontecimentos, deixam uma pressão grande para que o próxima ano seja diferente.

E para um novo ano precisa-se de novas metas, novos projetos e ideais a serem tirados do papel, e qual a melhor maneira de fazer isso?!

1º  Tenha metas realistas!

É de fundamental importância, para o nosso bem estar profissional, pessoal e psicológico, que as metas sejam tangíveis, que sejam possíveis realizar, e isso não significa que você não deve sonhar com suas metas de longo prazo mas que você deve ter pé no chão.

2° Fatias de Meta.

Onde mais aprendemos e ganhamos é no processo, é no caminho até a chegada, e para isso é importante sabermos que para obter uma determinada meta, nós iremos conseguir outras “metinhas” até chegarmos nela, é como uma escalada até o topo, e fatiar as metas dão um gás a mais para continuarmos a chegar na nossa maior meta, pois vamos conquistando cada pedaço até lá.

3° Planeje a instabilidade.

Aprendemos com o ano que se encerra, que a instabilidade pode se instalar de maneira avassaladora e surpreendente, e para isso é importante ter planos de emergência bem estruturados, metas podem sofrer alterações momentâneas e já ter as diretrizes e o os outros planos pré estabelecidos só ajudará.

4° Atualize o seu software.

Para que nossos aparelhos funcionem da melhor maneira, para ter uma interface nova e para aumentar a segurança, sempre é importante mante-los atualizados e conosco acontece da mesma forma, precisamos quebrar a crosta da mesmice e abraçar o novo, al´me testar e fazer coisas diferentes, estudar algo que você sempre quis, atualizar o guarda roupa, cuidar da aparência tudo isso ajuda a nos deixarmos melhores, e conhecer outras formas de comportamento.

5º Faça e com o tempo aperfeiçoe.

Está com um projeto todo esquematizado e quer adiar o começo dele por conta de um detalhe?! Cuidado, a oportunidade pode passar nesse meio tempo . É importante colocarmos os projetos em prática, e com o pratica chegaremos a perfeição,

Os projetos e ideias precisam ser feitos para que melhorem com o tempo, se ficarmos esperando para lançarmos algo, ou fazer algo quando acharmos que aquilo está perfeito, provavelmente esse momento de perfeição nunca chegue, é com o dia dia e o feedback de quem ver e participa do seu projeto ou ideia que vão dar asas para que ele possa voar.

Na vida as mudanças são rápidas e com isso nossas metas e objetivos também podem mudar, e está tudo bem essa mudança, só precisamos ficar atentos para não perdermos o controle e o foco no que queremos e onde almejamos chegar.

 O novo estar por vir, e como sempre e mais do que nunca, incerto.

Cabe o nós ao menos nos planejarmos para o que tudo possa fluir da melhor forma possível.

Quero empreender, como devo agir?

P Mais - Quero Empreender

Hoje tenho a convicção de que o principal erro, e que desencadeia uma série de outros erros em cascata, é encarar o papel de empreendedor com a visão padrão de uma profissão tradicional.

O caminho padrão de uma profissão > Escola > Faculdade > Profissão

Eu preciso ter uma formação para ter uma profissão.

É claro que este é o modelo mais comum para a maioria das pessoas, o problema é quando a pessoa quer empreender partindo deste mesmo raciocínio.

Então ela começa olhar para formações, certificados para depois tentar encaixar tudo isso no mercado.

Só que no mundo dos negócios isso simplesmente não funciona.

As formações e respectivas certificações não vão fazer ninguém comprar nada de você fundamentalmente por isso.

O mercado vai comprar de você o valor que entrega, e não importa se você tem formação, curso de especialização, MBA ou coisa parecida.

O que vale é o formato e a entrega das soluções que seus clientes procuram.

É claro que precisa saber entregar isso, e cursos que ajudam a melhorar esta capacidade de gerar estas soluções tem valor.

Mas não é o título, como a grande maioria pensa e ostenta em suas apresentações pessoais.

Essa abordagem invertida gera inúmeros problemas para os aspirantes a empreendedores, que não se deram conta disso ainda.

Não partem para ação de entrega de suas soluções, em busca de mais formações para sentirem segurança, que na verdade, só virá com a prática e quando estas entregas começarem a acontecer.

Por isso muitos gastam rios de dinheiro com coisas que não irá ajudar no processo para ter clientes, buscando títulos e formações atrás de formações.

O foco fica muito voltado naquilo que sabem ou pretendem fazer, e esquecem de olhar com mais cuidado para aquilo que o mercado realmente deseja, e que com certeza, não será uma certificação ou título estampado em uma porta, cartão de visita ou bio de alguma rede social.

Por mais louco que possa parecer, as pessoas que se julgam menos qualificadas, tem mais facilidade de criar um negócio de sucesso, justamente por não terem este pensamento influenciado.

Elas conseguem simplesmente olhar para o mercado, entendê-lo sem julgamento e conceitos e pré-requisitos necessários para atuar nele.

Acham que tem uma solução, começam a entregá-la e vão fazendo o negócio acontecer, e aos poucos vão se aprimorando, e aí sim, buscando evoluções através de formações, mas desta vez, com o foco voltado para o negócio.

Para empreender é preciso ter a clareza da real transformação que o seu produto irá entregar para o seu cliente, e focar toda energia para entregar esta transformação da melhor maneira possível.

Se deseja empreender e não tem ideia do que fazer e por onde começar, peça ajuda.

Pode ser a uma pessoa experiente em uma área que possa lhe interessar, um bom amigo que tenha autoridade para lhe ajudar, ou um mentor profissional para lhe ajudar a ter clareza para encurtar os caminhos e evitar desperdícios de tempo e dinheiro.

A importância de uma boa comunicação

P Mais - Comunicação

O conceito de comunicação vem do latim communicare, que significa tornar comum, compartilhar, trocar opiniões, associar, conferenciar.

O ato comunicar implica em trocar mensagens que, por sua vez, envolve emissão e recebimento de informações.

Aprimorando essa ferramenta natural e primária de todos os seres humanos, podemos convencer, persuadir, influenciar, despertar interesses…

Dentro de uma organização, a comunicação quando utilizada corretamente pode estabelecer relações pacíficas, integração de ideias, planejamento e assertividade do processo.

Pense na empresa como uma engrenagem em movimento e a comunicação como o óleo lubrificante que a faz deslizar uma na outra.

Não é raro em algumas profissões a utilização de termos técnicos e específicos da área, como por exemplo, a área jurídica.

Um comunicação neste meio em profissionais da área, a utilização destes termos passa despercebida, e a comunicação é estabelecia sem problemas.

Porém, quando um profissional desta área tenta se comunicar com um interlocutor fora deste meio, faz-se necessário uma mudança no linguajar para que esta comunicação seja perfeitamente estabelecida.

A comunicação só se torna fluídica quando o transmissor consegue passar com clareza, através  de um canal limpo, uma mensagem a qual o receptor tenha recebido e interpretado como esperado pelo transmissor.

Esta é uma das principais competências de um profissional.

No momento que vivemos de dinamismo tenha a comunicação como uma aliada.

Sun Tzu em “A arte da Guerra” ensina que para atingir uma meta é necessário agir em conjunto, conhecer o ambiente de ação, o obstáculo a ser vencido e é claro, seus próprios pontos fortes e fracos.

Roteirize até o “pulo do gato”, Comunique-se bem!

Qual a melhor opção para evoluir na carreira?

Lula Moura - Escolhas Profissionais

Certo dia vi uma enquete no Linkedin postada por um dos grandes Gurus da consultoria de carreira, com a seguinte questão:

“Qual fator você gostaria de melhorar dentre estas 3 opções?”

1 – Conhecimentos técnicos
2 – Resultados
3 – Imagem profissional

Peço que faça agora a sua opção, qual escolha seria a sua?

Vou agora postar o resultado da enquete que encerrou com 7.996 votos.

Conhecimento técnico ficou com 41%, Resultados 20%, Imagem profissional 38%.

E aí!?

O que acho do resultado da enquete? Bateu com a sua escolha?

Bom! Vou fazer a minha análise.

Vamos imaginar a sua carreira. O que você acredita que pode fazê-la evoluir baseado nestes três fatores?

Para agilizar esta análise vamos adotar o seguinte padrão:

Vamos fazer cada um destes três fatores ficar em alta enquanto os outros dois caírem, e com isso fazer uma análise de sua carreira frente a uma visão organizacional.

Cenário 1 – Conhecimento técnico muito alto, resultados e imagem profissional em baixa.

Neste cenário o seu currículo é uma referência, suas formações são inúmeras, você tem os fundamentos de tudo voltado a sua profissão, e é tido na organização como o Cara que sabe tudo da área, mas os seus resultados para esta organização e sua imagem como profissional não são bons.

Você acha que a sua carreira vai decolar, você será promovido?

Não vai!!!

Acredito que com este cenário, nem muito tempo irá passar na organização.

Conhecimento sem prática efetiva não vale de nada, é igual a um livro, todo o conhecimento está lá, mas ele não consegue transformar em prática.

Cenário 2 – Imagem profissional em alta, resultados e conhecimentos em baixa.

Neste cenário você é uma cara com boa visibilidade, bem articulado até na alta gestão.

Será que isso será o suficiente para sua carreira evoluir?

Pode até ser, mas nunca de forma consistente.

Com pouco conhecimento e resultados fracos, a sua sustentação não irá resistir a qualquer crise, ou a uma análise externa isenta de relacionamentos pessoais.

Cenário 3 – Resultados em alta, conhecimentos em baixa e imagem profissional em baixa.

Neste cenário você é o cara dos resultados, o papel ao qual lhe foi entregue é realizado.

Há quem diga que ninguém entende como você consegue, por acha que você não sabe de nada, e sua imagem profissional é fraca.

Mas as metas e as entregas estão lá!! Fatos e dados comprovados.

A sua carreira vai decolar?  Você poderá ser o escolhido para um promoção em uma área mais desafiadora?

Sim!

Os resultados atingidos e comprovados é o que toda organização procura.

Você não é contratado pelo que sabe, você é contratado para entregar o que faz com o que sabe.

Se isso não acontecer, nada vai adiantar para você.

E agora!?

Por que a enquete deixou o “resultado” em último lugar, apenas 20% das escolhas?

Porque o mercado nos induz ao padrão de buscar formação para ser um profissional, e ter uma boa imagem para se dar bem. Só que isso é que todos fazem, e pior sem qualquer estratégia.

É claro que tendo os dois, os resultados têm grandes possibilidades de serem bons, mas não há qualquer garantia disso, principalmente se você não for buscar as formações e a moldagem de sua imagem profissional com foco nos resultados que são precisos.

Não é raro, escutar profissionais comentarem que precisam fazer uma pós graduação para evoluir na carreira, muitas vezes sem qualquer análise focada na sua realidade ou momento profissional.

O saber o que é preciso para sua evolução profissional tem uma conexão direta com o autoconhecimento, com a clareza dos seus verdadeiros interesses e potenciais pessoal.

Só para dá exemplos deste conceito que estou falando, e que claramente não é unânime, vão ai o nome de dois grande profissionais que não tinham formações acadêmicas, imagens profissionais polêmicas mas viraram referencias profissionais:

Bill Gates e Steven Jobs, ambos não eram formados, e o segundo com uma imagem até polêmica, mas o autoconhecimento de seus potenciais e objetivos, os levaram a ter uma capacidade de inovação e entrega que geraram resultados surpreendentes.

Então o que fazer para saber como melhorar profissionalmente?

Se analise, tenha clareza dos resultados que tem que entregar, do que é capaz de entregar melhor, e o que é preciso fazer para melhorar a entrega destes resultados.

E ai sim! Vá em busca das formações técnicas e da melhor forma de mostrar a sua imagem profissional.

Pois o que importam mesmo, são os resultados, são eles que sustentam todo o conjunto.

Antes de escolher o caminho de melhorar sua carreira, faça uma boa avaliação ou uma revisão de sua carreira para obter um diagnóstico preciso de como agir.

O mercado hoje oferece diversa opções para isso, e hoje é o que tem gerado os melhores resultados para os profissionais que escolhem este caminho.

 

Setembro amarelo. Cada vida importa!

P Mais - Setembro Amarelo

No mês de setembro nas redes sociais e nas mídias começam a aparecer várias campanhas sobre o setembro amarelo.

Mas, afinal o que é o setembro amarelo?

Trata-se de uma campanha brasileira que levanta a bandeira sobre a prevenção ao suicídio, a data escolhida é o dia 10 de setembro, o dia mundial de prevenção ao suicídio.

A campanha tem como objetivo salvar vidas através do diálogo, do acolhimento, e da informação. Levando esclarecimento as pessoas que pensam em pôr o fim na sua própria vida.

A ideia é lhes mostrar que elas não estão sozinhas e que a morte não é a solução.

Qual a importância de abordar o tema?

A campanha busca a ampliação do diálogo pela população geral, que pode ajudar na prevenção ao suicídio de algum conhecido ou ajudar  na busca do autoconhecimento.

Estima-se que cerca de 90% dos suicídios poderiam ter sido evitados com ajuda psicológica, a maioria dos casos é causado por doenças mentais não tratadas.

O suicídio sempre foi um tabu, por envolver o peso do luto para o familiar, além de tabus religiosos e culturais.

Por muito tempo abordar o tema ou conversar com as pessoas sobre o assunto foi evitado.

Na mídia o tema também não é abordado com frequência, pois a divulgação dos casos poderia estimular outras pessoas a comentaram este ato, também conhecido como efeito Werther (suicídios por imitação).

Apesar da própria OMS (Organização Mundial da Saúde)  desaconselhar a divulgação de métodos e processos de suicídios, o diálogo sobre o tema é fundamental para o acolhimento.

Mas, como identificar alguém com pensamento suicida, se nem todos dizem que vão se matar?

Nem todos vão declarar abertamente que estão pensando em tirar a sua vida, porém na grande maioria dos casos as pessoas nos trazem indícios de sofrimentos, mudanças de hábitos e rotinas, além de frases sempre sem perspectiva ou esperança no futuro.

É comum encontrar pessoas que já pensaram em se suicidar pelos mais diversos motivos, sejam eles por dificuldade financeira, familiar, abusos, pela perda de autonomia da idade, pela mudança na rotina, descobertas de doenças, e por doenças de cunho psicológico.

É importante evitar comentários que minimizem a dor e o sofrimento do outro, frases como: “Mas ele só fez essa tentativa para chamar atenção”, “se realmente quisesse ter se matado, faria desta forma…”, “isso é falta de Deus!” …. Frases nesta conotação, só mostram a dificuldade de ser colocar no lugar do outro e não ajudam em nada, pelo contrário, atrapalharam e maximizam a sua dor.

Substituía o “chamar atenção” por: “tem algo que eu posso fazer para te ajudar?”.

A melhor maneira de ajudar alguém com pensamento suicida é oferecer o ombro amigo, mostrar-se disponível e ser empático.

Esteja aberto a ouvir, a acolher, a não julgar ou minimizar a dor do outro, e se possível, acompanhe e indique a um profissional capacitado para atendimento psicológico ou médico.

Falar é a melhor solução! Cada vida importa!

Precisa de ajuda? 188 CVV (24h por dia)

A importância da saúde mental do colaborador nas organizações

Saúde no trabalho

Segundo a organização mundial da saúde, no mundo mais de 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão, e mais de 26 milhões convivem com transtornos de ansiedade.

O Brasil é um dos campeões mundiais de casos de depressão. Esta enfermidade que acomete cerca de 3% a 11% da população, e sendo mais frequentes em mulheres.

Os episódios depressivos são uma das 10 principais causas de afastamento de colaboradores de suas funções laborais, segundo dados de 2017 do INSS.

Segundo analises de benefícios concedidos pelo o INSS , os CID’s (classificação internacional da doença)  relacionados aos transtornos mentais, tem uma media 6,6 dias de afastamento, contra 2,2 dias de afastamento relacionado a outros grupos de CID.

Entre as principais causas de afastamentos por transtornos mentais no trabalho, podemos destacar:

    Cargas excessivas de trabalho, que exigem do colaborador um desempenho além do possível, metas inatingíveis e cobranças extremas;
    Tarefas e responsabilidades inadequadas, além das competências dos colaboradores;
    Falta de clareza na definição das metas, objetivos e expectativas;
    Assédio Moral e bullying;
    Má gestão, liderança tóxica e políticas internas inadequadas.

Aqui na P Mais Terceirização percebo uma priorização e apoio a saúde mental dos colaboradores com ações de prevenção, identificação precoce, tratamento e apoio  sempre englobando ações voltadas para a saúde física e ações de bem estar.

Entre estas ações que podem ser aplicadas, destaco:

    Clareza de propósitos, objetivos, descrição das responsabilidades e competências e feedback continuo;
    Ações de conscientização;
    Incentivo a pratica de exercícios, lazer e alimentação saudável;
    Tratamento igualitário a todos os colaboradores;
    Temperatura agradável, mesas adequadas, cadeiras anatômicas;
    Flexibilização de horário da jornada de trabalho.

Quando é tomado estas posturas nas organizações, cria-se um ambiente corporativo mais agradável.

A redução de pressão sob os funcionários diminui o estresse, tornando as tarefas do dia a dia mais agradável, ocasionando diminuição nos afastamentos por episódios depressivos e de ansiedade, e o aumento da produtividade e satisfação do colaborador torna-se evidente.

E você, o que tem vivido na sua organização com relação a este tema?

A difícil arte de tornar o departamento pessoal invisível

DP - Invisível

Diante do cenário atual onde houve demandas excessivas de demissões, modificações de contratos, frente as necessidades de ajustes as diversas medidas provisórias emitidas pelo governo federal, a gestão de colaboradores passou por intensas alterações provocando alto impacto nas rotinas de Departamento Pessoal.

A folha de pagamento torna-se um desafio ainda maior para os profissionais do DP.

Seus inúmeros detalhes fazem com que essa rotina exija bastante atenção.

Contudo é importante destacar a utilização de processos e ferramentas que possam auxiliar no processo de exatidão no fechamento da folha.

Entre os principais recomendo:

1- Planejamento estratégico: Defina prazos, considere imprevistos nessa etapa. As atividades são operacionais porém dinâmicas, os processos devem ser concluídos observando prazos e legislação. Como diz SunTzu em A Arte da Guerra ” Aquele que não realiza planejamento algum, terá chances ínfimas de vitória”

2- Calcule Horas Trabalhadas, garanta que os pontos eletrônicos, ou não, estejam devidamente tratados e validados.

3- Organize em planilha os lançamentos a serem realizados na folha, seja descontos, seja proventos.

4-Faça um Check List contendo observações conforme as particularidades de cada organização.

5- Esteja descansado. Caso esteja à frente do computador por horas, levante, faça uma pausa e retome. Lembre-se você estará realizando muitos cálculos, o que pode deixar a mente confusa.

Os cálculos requerem atenção, análise e criticidade. A estrutura é relativamente simples, mas exigente.

Vivemos em uma rotina complexa, com muitos canais de informações, e de muita responsabilidade, infelizmente só somos percebidos quando erramos.

Garantir a nossa obscuridade nestas rotinas, é a nossa missão diária.

A armadilha do conhecimento

Lula Moura - Ferraris

Esta foto que representa este tema de hoje, é de onze Ferraris sendo uma preta, e uma BMW na garagem de um único dono!

Incrível, não é?

É muito bonito, gera diversos pensamentos sobre conquistas, sucesso e poder.

Nada contra, até porque os valores de cada um devem ser sempre respeitados.

Agora quando você questiona o porquê prático! Aí sim, aparecem muitas perguntas difíceis de serem respondidas a contento.

A pessoa nunca vai dirigir todos estes carros com frequência, provavelmente não irá emprestar com facilidade aos amigos, e dependendo onde ele resida, dificilmente irá irá pilotar um destes carros a mais de 200 km/h.

E o que isso tem a ver com os temas que sempre abordo por aqui, desenvolvimento pessoal e profissional?

Continue lendo “A armadilha do conhecimento”